Com 100% de leitos lotados, Araraquara vive mesmo caos na saúde que Manaus



Edinho Silva fechou mercados, proibiu circulação de veículos comuns e suspendeu o transporte público.

As ruas de Araraquara, na região central paulista, ficaram movimentadas neste sábado (20) após a prefeitura publicar decreto que deixa mais rígido o lockdown na cidade. A nova restrição terá duração de 60 horas. Na noite de sexta (19) e no sábado houve filas para entrar em supermercados e congestionamento para abastecer carros.


Está gostando? Participe do nosso GRUPO no TELEGRAM ou do nosso GRUPO de Whatsapp e saiba das notícias em primeira mão!

A partir das 12 horas do domingo (21), supermercados começaram a atender por delivery. Postos de combustíveis só poderão abastecer veículos oficiais, o transporte coletivo fica suspenso e é proibida a circulação de carros sem justificativa.

Os leitos de UTI e enfermaria estão com 100% de ocupação desde segunda-feira (15). Com mais três óbitos confirmados no sábado, a cidade chega a 170 mortes pela Covid, quase um terço (54) delas neste mês.

A prefeitura já havia adotado lockdown por 15 dias desde segunda. Mas, com nível de adesão ao isolamento social, segundo índice de medição do governo do estado, em 42%, leitos lotados, novas contaminações e mortes, o prefeito Edinho Silva (PT) estabeleceu o ‘lockdown total’. Depois desse período, a cidade retoma as regras do lockdown que já vigora desde segunda-feira.

MORADORES RECLAMAM
– Ficasse no que estava que era melhor. Agora está um grudado no outro, tudo aglomerado ali dentro – opina a doméstica Ana Maria Dias, diante da correria que o anúncio de endurecimento do lockdown causou na cidade de 238 mil habitantes.

Ela e a mãe, de 80 anos, passaram em frente de outros dois mercados e entraram no que parecia menos lotado. Maria diz que passa roupa para fora e, como já sai de casa para trabalhar, não vê motivos para deixar a filha fazer as compras para ela. No entanto, acredita que os principais vetores da doença são jovens que participam de reuniões sociais.

O empresário Lucas Gomes relata que já na tarde de sexta, quando começaram a circular informações sobre o decreto, as três faixas da Via Expressa ficaram congestionadas com motoristas tentando acessar seu posto de combustível.

– Em uma hora, o número de carros abastecendo subiu de 10 para 100. O combustível acabou e precisamos suspender o atendimento – conta.

Segundo ele, em seu outro estabelecimento, um depósito de gás, as vendas aumentaram 40% neste sábado.

– O problema (da contaminação) está em festas. Aqui na região tem muitas chácaras com festas clandestinas – opina Gomes, que discorda do fechamento do comércio.

*Estadão


NOVIDADE!Participe do nosso CANAL no TELEGRAM ou do nosso GRUPO de Whatsapp e receba notícias em primeira mão!

Notícias Recentes:


Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.