‘Isso é um crime’, diz Drauzio sobre aglomerações provocadas por Bolsonaro



O médico oncologista Drauzio Varella classificou como “crime” hoje a atitude do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de provocar aglomerações e se recusar a usar máscara no dia seguinte ao país estabelecer um novo recorde de mortes diárias provocadas pela covid-19. Bolsonaro vem durante toda a semana participando de eventos com aglomerações e chegou a afirmar que as máscaras têm “efeitos colaterais”. “Morrem 1.500 pessoas ontem, hoje o presidente da República sai sem máscara e provoca aglomeração”, afirmou Drauzio em entrevista à GloboNews, lembrando as 1.582 mortes registradas ontem, que ultrapassaram a maior marca do Brasil na pandemia até então, de 29 de julho do ano passado.

 


Está gostando? Participe do nosso GRUPO no TELEGRAM ou do nosso GRUPO de Whatsapp e saiba das notícias em primeira mão!

“Como a gente classifica um comportamento desse? Você vai dizer: ‘é um mau comportamento’. Não, mau comportamento é outra coisa, todos nós temos maus comportamentos às vezes. Isso é um crime, eu não consigo encontrar outra palavra para definir esse tipo de atitude.”

Drauzio Varella, médico oncologista O médico afirmou que não considera Bolsonaro “o único culpado” pelo fato de o Brasil viver atualmente o pior momento da pandemia, mas que o presidente é o “grande responsável” por se colocar desde o início “a favor da epidemia”, se recusando a usar máscara e causando aglomerações. Para Drauzio, governantes que têm esse tipo de atitude são “demagogos” e fazem isso por interesse político.


NOVIDADE!Participe do nosso CANAL no TELEGRAM ou do nosso GRUPO de Whatsapp e receba notícias em primeira mão!

Notícias Recentes:


Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.