Para o MST, é um tremendo retrocesso o Brasil ser o campeão mundial da soja



O cultivo de soja é um dos mais brilhantes sucessos da história econômica do Brasil – talvez o maior exemplo, em qualquer época, de alguma coisa que deu certo neste país em termos de progresso puro e simples, e de tudo o que isso significa de bom.

A safra deste ano vai ser superior a 140 milhões de toneladas, o que faz do Brasil o maior produtor de soja do planeta, com quase 40% de toda a produção mundial – e um fator-chave, hoje em dia, na produção de alimentos para toda a humanidade.



Está gostando? Participe do nosso GRUPO no TELEGRAM e saiba das notícias em primeira mão!

NÚMERO UM – Em 2021, pelo sétimo ano consecutivo, a soja vai ser o principal produto de exportação do País, com mais de US$ 35 bilhões – uma injeção de divisas essencial para o bem-estar dos 200 milhões de brasileiros, ao permitir que a economia nacional funcione com um mínimo de normalidade e livre de crises nas suas contas externas.

Em suma: a soja, no Brasil, é uma solução extraordinária. Não para a esquerda, porém; aí é exatamente o contrário. A soja, no “Movimento dos Sem Terra” e nos seus patrocinadores do PT, PSOL e adjacências – que são, na verdade, os seus verdadeiros donos – é uma desgraça que precisa ser destruída.

É o que deixou claro a recente agressão do MST contra a sede da associação dos produtores de soja em Brasília. Uma gangue de malfeitores, usando equipamento para cortar metais e outros meios violentos de ataque, pichou paredes, vidros e janelas, instalou faixas de plástico pintadas e destruiu tudo o que pôde – um crime, e praticado com a violência do arrombamento.

APENAS UMA “CAUSA” – A soja, proclamaram os atacantes, é o maior inimigo que o Brasil tem hoje. A soja, na verdade, é a maior inimiga do MST, que explora a situação do campo, seja ela qual for, para sobreviver materialmente – sem uma “causa” para vender, o movimento simplesmente morre.

É simples: a soja é a prova mais espetacular do sucesso econômico e social do capitalismo na agricultura brasileira – e um mundo rural que dá certo é a morte da “reforma agrária” e de outros contos do vigário aplicados pelo MST e seus operadores políticos.

“Soja não enche barriga” – é essa estupidez grosseira tudo o que eles conseguem usar como argumento.

ATO ANTIDEMOCRÁTICO – E o crime cometido pelo MST foi recebido com absoluta normalidade nos círculos que vivem em permanente crise nervosa na defesa da “democracia”.

Um negócio desses não seria um óbvio “ato antidemocrático”, desses que tanto horrorizam o ministro Alexandre de Moraes e o seu inquérito para salvar o Brasil? Não, não seria.

Deve ser, apenas, mais um ato protegido pelo legítimo direito de livre manifestação.


NOVIDADE!Participe do nosso CANAL no TELEGRAM ou do nosso GRUPO de Whatsapp e receba notícias em primeira mão!

Notícias Recentes:


Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.