Anistia Internacional acusa Ucrânia de colocar tropas em áreas povoadas e irrita Zelensky

O grupo de direitos humanos, Anistia Internacional, afirmou na quinta-feira, 04, que a Ucrânia coloca a vida de civis em áreas residenciais como base de suas tropas durante a guerra com a Rússia.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, endereçou fortes críticas às alegações da Anistia Internacional, acusando o grupo de cumplicidade com o que chamou de ataques não provocados da Rússia à Ucrânia, e afirmou ainda que o relatório da Anistia Internacional é semelhante à propaganda e à campanha de desinformação dos russos.

Membros da Anistia testemunharam forças ucranianas “estabelecendo bases e operando sistemas de armas” em algumas áreas residenciais a várias linhas de frente no leste e sul da Ucrânia entre os meses de abril e julho, segundo o relatório.

“Documentamos o padrão das forças ucranianas que vem colocando civis em risco e violam as leis da guerra ao operarem em áreas com grande número de pessoas”, disse a secretária-geral da Anistia Internacional, Agnès Callamard.

Zelenskiy, se pronunciou em mensagem por vídeo, relatando que o grupo estava tentando “anistiar um Estado terrorista” (a Rússia).

“Não há condições, nem pode haver, mesmo hipoteticamente, sob quais quer ataque dos russos à Ucrânia que seja justificado”, disse Zelenskiy.

O presidente da Ucrânia encerrou dizendo: “Qualquer um que anistie a Rússia e crie um contexto de informação no qual alguns ataques de terroristas são supostamente justificados ou supostamente compreensíveis não pode deixar de entender que, ao fazê-lo, está ajudando os terroristas; [quem faz isso] compartilha com eles a responsabilidade pelos assassinatos de muitas pessoas”.

(Imagem: Senado)

LEIA MAIS:

Mesmo com o;Fique em Casa que a economia vem depois; micro e pequenas empresas puxam a criação de empregos

EUA reafirma o compromisso de desnuclearizar Coreia do Norte

Bolsonaro não ia, mas agora vai participar de entrevista no JN

Delegados de Polícia fazem manifesto em defesa da democracia

Hoje (5) é o último dia para a realização de convenções

 

Avalie post