Augusto Aras se manifesta contra compra da vacina chinesa contra a covid-19

O procurador-geral da República, Augusto Aras, se manifestou contra as ações impostas pela esquerda — Rede Sustentabilidade, PT, PC do B, Psol, PSB e Cidadania — para tentar obrigar o governo federal a adquirir doses da Coronavac, a vacina chinesa contra a covid-19, que é desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan de São Paulo.

De acordo com dois processos levados ao Supremo Tribunal Federal (STF) por esses partidos, depois de o Ministério da Saúde se comprometer a comprar o produto, o presidente Jair Bolsonaro se manifestou contra ele nas redes sociais, o que teria levado ao cancelamento da aquisição.

Para Aras, no entanto, “publicações nas redes sociais não têm caráter oficial e não constituem direitos ou obrigações da administração pública.”

O procurador também reforçou que já há procedimento administrativo no Ministério Público Federal (MPF) para acompanhar o planejamento de vacinação da população contra o coronavírus e que foram pedidos esclarecimentos ao Ministério da Saúde, à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), à Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e ao Instituto Butantan.

A Advocacia-Geral da União (AGU) também já avaliou como precipitadas as ações que pedem a compra do imunizante antes mesmo de comprovada sua eficácia e segurança para o uso na população. A entidade lembrou que a decisão cabe ao Poder Executivo.

Avalie post