Biden confirma ataque e morte de líder da Al-Qaeda

O líder da Al-Qaeda, o egípcio Ayman al-Zawahiri, foi morto em uma operação com drones conduzida no domingo (31/7) pela agência de inteligência dos Estados Unidos, em Cabul, no Afeganistão disse o presidente norte-americano, Joe Biden, na segunda-feira (1º).

Zawahiri, um cirurgião egípcio que tinha uma recompensa de US$ 25 milhões por sua cabeça, alguns afirmam que ele tenha sido o “cérebro operacional” por trás dos ataques de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos que mataram quase 3 mil pessoas na época.

De acordo com informações, Zawahiri, 71 anos, estava na varanda de uma residência, quando um drone disparou dois mísseis contra ele.

“Depois de analisar cuidadosamente as claras e convincentes evidências da localização dele, eu autorizei o ataque de precisão que o retiraria do campo de batalha de uma vez por todas”, disse Biden. “Agora a justiça foi feita e esse líder terrorista não existe mais. Nós nunca recuamos”, afirmou Biden.

Alguns especialistas diziam que Zawahiri foi considerado o braço direito de Osama Bin Laden e o principal ideólogo da Al-Qaeda.

O ataque de drone é o primeiro ataque conhecido dos EUA no Afeganistão desde que tropas e diplomatas dos EUA deixaram o país em agosto de 2021.

Biden falou que Zawahiri “deixou um rastro de assassinatos e violência contra cidadãos norte-americanos”.

“Ele esteve profundamente envolvido no planejamento do 11 de Setembro, (foi) um dos maiores responsáveis pelos ataques que assassinaram 2.977 pessoas em solo americano. Continuamos a lamentar cada vida inocente que foi roubada no 11 de Setembro e honramos suas memórias. Para as famílias que perderam pais e mães, maridos, esposas, filhos e filhas, irmãos e irmãs, amigos e colegas de trabalho naquele dia de setembro, espero que esta ação decisiva traga mais uma forma de encerramento. Deixamos claro hoje que não importa o quando demore, não importa onde se esconda, se você é uma ameaça ao nosso povo, os Estados Unidos vão te encontrar e te eliminar”, disse Biden, citando o envolvimento de Zawahiri no planejamento de outros ataques, como um atentado suicida contra o destróier USS Cole em 2000, no qual 17 marinheiros americanos foram mortos.

Já um porta-voz do Taliban, Zabihullah Mujahid, confirmou que um ataque ocorreu e o condenou veementemente, chamando-o de violação de “princípios internacionais”.

“Tais ações são uma repetição das experiências fracassadas dos últimos 20 anos e vão contra os interesses dos Estados Unidos da América, do Afeganistão e da região”, disse o porta-voz do Taliban, um antigo aliado da Al-Qa

(imagem: Agência Brasil)

LEIA MAIS:

Eduardo Bolsonaro diz que disputa entre seu pai e Lula está empatada

Lula chama Bolsonaro de “troglodita” e diz que o presidente vai levar surra nas urnas

Brasil ocupa 1º lugar no ranking mundial de crescimento em vendas online

O que saber sobre o confronto Bolsonaro-Lula no Brasil

VIOLÊNCIA: Pessoas surdas podem fazer denúncias em Libras

Avalie post