Carta malcriada de Barroso ao Twitter é devolvida ao TSE

malcriadíssima carta enviada pelo presidente do TSE para Pavel Durov, CEO do Telegram, que mora em Dugai, foi devolvida depois de quatr4o tentativas de entrega. Na malcriada carta, depois de dizer que circulam “teorias da conspiração no Telegram”, além de fake news, o ministro Barroso decidiu intimar os diretores do app. Segundo Barroso, faz-se necessário combater a desinformação na internet.

“Por meio do Telegram, teorias da conspiração e informações falsas sobre o sistema eleitoral estão sendo espalhadas no Brasil”, argumentou Barroso, na carta. “Nenhuma mídia social pode se transformar num espaço mafioso.”

Em outro trecho da papelada, o ministro sugere que o Telegram permite a circulação de conteúdos de pedofilia, venda de armas, de drogas, de notas falsas e de “campanhas de ataques à democracia”.

Avalie post