Decepcionado, Joaquim Barbosa sai do PSB e diz que a eleição ainda está indefinida

O ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa declarou não ser mais filiado ao PSB. Em entrevista ao UOL, Barbosa disse que a desfiliação se tratou de uma decisão pessoal e afirmou que “em princípio” não será candidato nessas eleições. “Foi uma escolha minha. Pensava nisso havia meses; não houve traumas”, disse.

Apesar deste movimento, o relator do mensalão diz não ter descartado a possibilidade de se candidatar um dia. “Há conversas, depende…”, admite o relator do processo do Mensalão, que levou à cadeia José Dirceu, Delúbio Soares, José Genoino, Valdemar Costa Neto, Bispo Rodrigues e Marcos Valério, entre outros.

JOGO SUJO – “Continuo muito reticente em relação à política. Não preciso da política. Entrar na política é uma guerra, é um jogo sujo. As pessoas se incomodam até mesmo se você pensa em entrar para a política. Veja o que aconteceu com o Moro. Precipitou-se, saiu muito cedo, está apanhando adoidado”, acrescentou.

Na entrevista, Barbosa também negou a possibilidade de ser candidato à vice-presidência em uma chapa encabeçada por Sérgio Moro. “De jeito nenhum, não teve nada disso. Nunca vou ser vice na chapa de ninguém. Não há hipótese”.

Barbosa classificou como uma “jogada de mestre” a possível dobradinha entre Lula e Alckmin. “Só um cara muito experiente politicamente para fazer um troço desses”.

NADA DEFINIDO – Apesar disto, avalia que o resultado da disputa eleitoral ainda é incerto. “Esse jogo está longe de estar definido, como os analistas estão dizendo. Tem que observar, ver o que vai acontecer ainda. É preciso esperar o começo da campanha de verdade”. É quando ele acha que a polarização Lula-Bolsonaro “vai atingir o paroxismo, vai sair faísca no escuro” – e aí, quem sabe, o ambiente poderá ficar propício para novidades

Durante todo o tempo em que foi filiado ao PSB, ainda que fosse um dos nomes de maior visibilidade da legenda, jamais participou de decisões internas. “Nunca fui consultado para nada”, disse. Assistiu de longe, sem acesso aos bastidores, à costura do partido para apoiar a candidatura do ex-presidente Lula, mesmo abrindo mão do próprio capital político. No caso, ele.

DECEPÇÃO COM PSB – “O partido que poderia me ter nunca se interessou em me lançar candidato”, disse. Assim, como muitos casamentos precipitados, a relação logo se mostrou sem sentido. Decidiu então que era hora de mudar de ares. “Não tenho plano B. Estou livre, estou solto”, afirmou.

Voltando a falar da possibilidade de se candidatar, porque de quatro em quatro anos sempre parece que ele será chamado para disputar o Planalto, ironizou. “Esse chamado ainda não veio. “Talvez venha depois que sair essa notícia da minha desfiliação”. Enquanto isso, ele disse, “estou caladinho, quietinho no meu canto”.

Em 2018, após ter atingido cerca de 10% das intenções de votos nas pesquisas eleitorais, Barbosa descartou a candidatura à presidência por “decisões pessoais”.

Avalie post