Doria vai a Bra­sília, ofe­recer 100 mi­lhões de doses da va­cina do la­bo­ra­tório chinês Si­novac ao go­verno fe­deral

O go­ver­nador de São Paulo, João Doria (PSDB), vai à Bra­sília nesta quarta-feira (21 de ou­tubro) para tratar da venda de 100 mi­lhões de doses da va­cina de­sen­vol­vida pelo la­bo­ra­tório chinês Si­novac ao go­verno fe­deral. Ele se reu­nirá com mem­bros do Mi­nis­tério da Saúde e da Agência Na­ci­onal de Vi­gi­lância Sa­ni­tária (AN­VISA).

O custo uni­tário da va­cina chega a dez dó­lares, equi­va­lente às de­mais que estão em de­sen­vol­vi­mento, se­gundo in­formou o Diário do Poder. De acordo com o site, isso exi­giria do go­verno fe­deral US$ 1 bi­lhão de dó­lares para dispor do imu­ni­zante, equi­va­lente a R$5,65 bi­lhões.

Na úl­tima se­mana, uma de­cla­ração do go­ver­nador tu­cano gerou con­fusão. O Mi­nis­tério da Saúde apre­sentou um cro­no­grama para va­ci­nação contra Covid-19 que não in­cluía a co­ro­navac. Doria acusou o go­verno Bol­so­naro de “po­li­tizar” a va­cina. A as­ses­soria do Mi­nis­tério disse que Pa­zu­ello não des­cartou ne­nhuma pos­si­bi­li­dade e per­ma­nece em con­tato com Bu­tantan e ou­tros ins­ti­tutos na­ci­o­nais que buscam par­ce­rias com la­bo­ra­tó­rios es­tran­geiros, con­tanto que atendam todos os cri­té­rios de se­gu­rança e efi­cácia exi­gidos pela An­visa. “O imu­ni­zante que ficar pronto pri­meiro , o que sig­ni­fica atender todos os cri­té­rios de se­gu­rança e efi­cácia exi­gidos pela An­visa, será uma opção para aqui­sição”, in­formou.

Com a po­lê­mica, Doria disse que irá à Bra­sília con­versar com re­pre­sen­tantes do Mi­nis­tério da Saúde e da An­visa em “missão de paz”. “Vamos em missão de paz, mas com a cer­teza que de­se­jamos ter a va­cina para os bra­si­leiros de São Paulo e do Brasil.”, de­clarou o go­ver­nador. Vale lem­brar que, nos úl­timos meses, Doria si­na­lizou que usaria até mesmo do poder pú­blico para obrigar a po­pu­lação pau­lista a se imu­nizar com a va­cina chi­nesa da Si­novac, su­jeitos a multa e força po­li­cial caso não qui­sessem o pro­ce­di­mento com o pro­duto. Agora, des­ca­ra­da­mente, vai a Bra­sília que­rendo vender a mesma fór­mula, como opção para a imu­ni­zação em todo o país.

Avalie post