Jair Bolsonaro: “Tirei dinheiro de ONG do MST. Não tem mais MST”

Presidente celebrou o fato de o número de invasões de terra ter diminuído durante sua gestão

O presidente Jair Bolsonaro celebrou, na manhã desta sexta-feira (11), a redução da quantidade de invasões de terra durante seu governo. Em conversa com apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada, o líder atribuiu a diminuição ao corte de repasses financeiros ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

“Tirei dinheiro de ONG do MST. Não tem mais MST. O número de invasões é menos de dez por ano. Resolvido rapidamente”, disse Bolsonaro.

O presidente ainda citou outras medidas que foram adotadas durante seu governo, como a liberação do porte de arma em toda a fazenda, e não apenas na sede dela, e disse que sempre defendeu “o povo bem armado”.

“Demos o porte de arma ao fazendeiro. Estamos criando mais de mil CACs [sigla pela qual são conhecidos os colecionadores, atiradores e caçadores] por dia”, destacou.

O líder disse ainda que reduziu em mais de 80% as multas aplicadas no campo e que deu dignidade a quem era “escravizado” pelo MST, ao conceder títulos de posse a assentados.

Ao ouvir um apoiador reclamar da retirada de pessoas que moravam em uma área demarcada como terra indígena no passado, Bolsonaro afirmou que nenhuma terra foi demarcada em sua gestão.

“No meu governo, nenhuma terra indígena foi demarcada. Já temos 14% [de locais] demarcados no Brasil”, finalizou.

Avalie post