Kiev inicia “retirada obrigatória” de civis de Donetsk

 

Nesta terça-feira (02), as autoridades ucranianas iniciaram a “retirada obrigatória” da população da região de Donetsk, no leste da Ucrânia.

A vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Vereshchuk, que é responsável pela reintegração dos territórios ocupados, anunciou o primeiro transporte para crianças, mulheres, idosos e pessoas com mobilidade reduzida, refere o portal oficial Ukrinform.

Segundo comunicado oficial do governo, o primeiro comboio partiu da região leste da Ucrânia numa altura em que se intensificam os combates, e espera-se que chegue na quarta-feira até Kropyvnytskyi.

A vice-primeira-ministra disse ainda que Kiev garante a segurança aos deslocados e a posterior recolocação em zonas seguras como para Lviv e outras cidades do oeste do país, onde estão sendo preparados alojamentos de acolhimento a esses refugiados.

No fim de semana o governo ucraniano anunciou a decisão de proceder à “retirada obrigatória” dos civis de Donetsk.

O chefe de Estado ucraniano, Volodymyr Zelensky, através de uma mensagem difundida pelo Telegram, pediu aos habitantes para se retirarem da zona assegurando assistência na deslocação assim como apoio económico.

“Confiem em mim”, afirmou Zelensky, admitindo que ainda há “milhares de pessoas” que não querem abandonar o local.

Na semana passada uma nota foi divulgada pelo chefe de administração ucraniana de Donetsk, Pavlo Kyrylenko, dizendo que em julho morreram na sequência de ataques russos “662 pessoas” e 1711 ficaram feridas.

( Imagem: O tempo)

LEIA MAIS:

Eduardo Bolsonaro diz que disputa entre seu pai e Lula está empatada

Bolsonaro indica juízes para o Superior Tribunal de Justiça

O que saber sobre o confronto Bolsonaro-Lula no Brasil

Ciro Gomes diz que “não há caminho” para apoiar Lula no segundo turno contra Bolsonaro

Bolsonaro confirma Auxílio de R$600 para 2023

Avalie post