Mesmo em prisão domiciliar, PTB lança candidatura de Roberto Jefferson à Presidência da República

Mesmo estando em prisão domiciliar o pivô do mensalão, Roberto Jefferson, foi aprovado por aclamação na convenção do partido à Presidência da República.

Roberto Jefferson é o presidente de honra do partido e teve seu nome aceito por unanimidade. Ele não compareceu à convenção em Brasília porque está em prisão domiciliar, por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), com tornozeleira eletrônica. Roberto Jefferson é investigado no inquérito em que apura a organização e funcionamento de milícias digitais.

Em vídeo, Jefferson disse que sua candidatura não pretende rivalizar com a campanha do presidente Jair Bolsonaro, o objetivo é ampliar o número de alternativas à direita.

“Agora, em 2022, Bolsonaro se candidata à reeleição sozinho, contra tudo e contra todos, enquanto a esquerda se apresenta como um polvo com vários tentáculos na forma de múltiplas candidaturas, preenchendo todos os nichos possíveis desse eleitorado”, disse, no vídeo mostrado na convenção.

Roberto Jefferson tem 69 anos, é advogado, nascido em Petrópolis (RJ). Seu primeiro mandato como deputado federal foi em 1983 e depois disso emendou 6 mandatos consecutivos. Teve seu mandato cassado após confessar participação no esquema do mensalão. Ficou conhecido por denunciar o esquema de compra de votos, escândalo do qual também participou. Foi condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

LEIA MAIS:

Ciro Gomes diz que “não há caminho” para apoiar Lula no segundo turno contra Bolsonaro

Lula chama Bolsonaro de “troglodita” e diz que o presidente vai levar surra nas urnas

O que saber sobre o confronto Bolsonaro-Lula no Brasil

Inflação de serviços supera varejo pela primeira vez desde setembro em São Paulo

Bolsonaro confirma Auxílio de R$600 para 2023

 

Avalie post