MPE acusa prefeito por usar repartição pública para fornicar com servidora de Florianópolis

O Ministério Público de Santa Catarina instaurou uma notícia de fato para investigar o prefeito de Florianópolis Gean Loureiro por uso indevido de repartição pública e improbidade administrativa.

O uso irregular deve-se ao fato de que o prefeito usou instalações da secretaria do Turismo para fornicar com uma servidora, que depois de três anos de sessões continuadas de visitas, acusou-o de estupro.

A investigação, em fase inicial, foi solicitada após denúncia de estupro feita por uma ex-servidora na semana passada.

Loureiro, que é candidato à reeleição, nega as acusações e disse que as relações foram consensuais. Afirma ainda que o caso é uma “armação eleitoral”.

O prefeito foi para as redes sociais, admitiu a relação e pediu perdão para a esposa e os filhos, mas ninguém sabe se ele foi perdoado.

A servidora informou que faz tratamento psiquiátrico, traumatizada depois de três anos de visitas inesperadas que recebeu.

Avalie post