O silêncio do Papa sobre as duas igrejas chilenas que foram queimadas por esquerdista é ensurdecedor

Papa Francisco ainda não se pronunciou sobre as igrejas incendiadas no Chile

Ma­ni­fes­tantes quei­maram duas igrejas em San­tiago, no Chile, du­rante pro­testos que mar­caram um ano das re­voltas que acon­te­ceram no país no final do ano pas­sado. Du­rante o do­mingo (18 de ou­tubro), além do in­cêndio nos tem­plos re­li­gi­osos, uma es­tação de metrô foi in­cen­diada e um grupo de pelo menos 300 pes­soas en­ca­pu­zadas ata­caram a 20° de­le­gacia dos Ca­ra­bi­neiros.

A ca­pela dos Ca­ra­bi­neiros San Fran­cisco de Borja, que foi con­ti­nu­a­mente ata­cada nesses meses, e a pa­ró­quia Asun­ción, foram as duas igrejas in­cen­di­adas. Em di­fe­rentes re­giões da ca­pital foram re­gis­trados sa­ques a su­per­mer­cados e bar­ri­cadas no co­meço da noite. No dia an­te­rior, tanto o Go­verno de Se­bas­tián Piñera como a mai­oria dos par­tidos po­lí­ticos fi­zeram pe­didos para evitar a vi­o­lência. O co­mu­nismo chi­leno está se­dento pela apro­vação de um novo mo­delo de cons­ti­tuição, o qual está ba­seado em moldes so­ci­a­listas e de cunho re­vo­lu­ci­o­nário.

Silêncio do Papa

Até o momento (13h50, horário de Brasília, de 19 de outubro), o Papa Francisco ainda não havia se manifestado publicamente sobre o assunto.

Vale frisar que o líder religioso constantemente comenta sobre diversos temas, inclusive questões relacionadas ao Brasil.

Mas o silêncio, até então, segue gerando uma onda de repúdio nas redes sociais.

Rodrigo Constantino, jornalista e analista político, foi um dos que se manifestaram sobre a ausência de um pronunciamento do líder religioso.

“Se esse Papa argentino com viés ‘progressista’ não se manifestar com veemência contra vagabundos anarquistas queimando igrejas no Chile, podemos pensar em impeachment ou é sonhar muito? Volta, Ratzinger!”, afirmou.

Avalie post