TCU identifica 7 milhões de pagamentos indevidos. Mais da metade dos benefícios já foi cancelada

O Tribunal de Contas da União (TCU) revelou na segunda-feira 7, que mais de 7 milhões de pessoas receberam em algum momento o auxílio emergencial de forma indevida. O dado foi divulgado pelo coordenador-geral de Controle Externo de Políticas Públicas da Secretaria-Geral de Controle Externo do órgão, Junnius Marques Arifa, durante audiência da comissão mista que avalia as estratégias adotadas pelo Poder Executivo no combate à covid-19.

De acordo com Arifa, o trabalho do TCU já fez com que parte dessas irregularidades fosse cancelada. Mais de 3,7 milhões deixaram de receber o benefício, gerando economia de cerca de R$ 8,8 bilhões aos cofres públicos. Ele informou o fato de cruzamento de dados ter ajudado na identificação de problemas a quem estava recebendo ao auxílio emergencial de forma irregular.

“Verificamos ao longo do período, os senhores tomaram conhecimento, militares e candidatos com patrimônio elevado”

“Na apuração de irregularidades, verificamos ao longo do período, os senhores tomaram conhecimento, militares e candidatos com patrimônio elevado. Foram identificados muitos pagamentos indevidos e foram emitidos mais de dez relatórios relacionados ao auxílio emergencial e mais 30 propostas de aprimoramento”, afirmou o coordenador do TCU, conforme divulga a Agência Senado.

Dinheiro perdido

O senador Izalci Lucas (PSDB-DF) lamentou o fato de não se conseguir recuperar o valor distribuído a quem não deveria. “O dinheiro já foi, não tem como recuperar, já passou o tempo. Eu sempre defendi uma fiscalização concomitante à execução. Não podemos mais liberar grandes recursos para determinados projetos e só deixar para verificar depois. Liberamos muito, e percebemos agora que o TCU tem uma série de críticas à execução”, afirmou o parlamentar o tucano.

Avalie post